Dr. Edmond Barras - A dor nas costas pode aumentar o risco de problemas de saúde mental

Dr. Edmond Barras - A dor nas costas pode aumentar o risco de problemas de saúde mental

Um estudo envolvendo quase 200 mil participantes mostrou que os indivíduos com dor nas costas são os mais propensos a apresentar problemas relacionados à saúde mental. Estar ciente dessa associação pode ajudar a manter uma proposta terapêutica mais eficientes para ambas as condições. A dor nas costas e uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo. De acordo com um estudo da Global Burden of Disease a dor lombar afeta um em cada dez habitantes do planeta. Há evidências concretas que a dor nas costas afeta negativamente a qualidade de vida e aumenta o risco para outros problemas de saúde. Além disso, ela leva a um aumento significante dos custos da assistência médica. Um estudo baseado em dados da Pesquisa Mundial de Saúde Mental mostrou que a dor nas costas crônica estavam associadas ao aumento de risco de transtornos de humor, abuso de álcool e transtornos de ansiedade. Apesar desses achados, pouca coisa foi feita para investigar a relação da dor nas costas e transtornos de saúde mental em países de média e baixa renda. Um estudo amplo que investigou as conexões entre dor nas costas e doenças psiquiátricas foi publicado no periódico General Hospital Psychiatry . A equipe liderada pela Dra. Patricia Shofield e pelo Dr. Brendon Stubbs, da Anglia Ruskin University do Reino Unido, coletou dados de 190.595 indivíduos com 18 anos ou mais, em 43 países, tornando-se o maior estudo desse tipo. Dos 43 países, 19 eram de baixa renda e 24 de renda média. Nesse estudo 35,1% da população relataram pelo menos um episódio de dor nas costas e 69% se queixaram de dor lombar crônica. Dos países investigados o menor índice de dor nas costas foi encontrado na China: 13,7%. No Nepal foi encontrado o índice mais alto: 57,1% , enquanto que em Bangladesh foi de 53,1% e no Brasil 52%. A análise de dados da pesquisa mostrou que quando comparados com indivíduos sem dor nas costas, os que se queixavam tinham duas vezes mais probabilidades de apresentar uma das cinco alterações da saúde mental: ansiedade, depressão, “stress”, psicose ou distúrbio do sono. Portadores de dor lombar crônica tinham três vezes mais propensões a desenvolver um episódio depressivo e 2,6 mais possibilidade de apresentar psicose. Curiosamente os resultados foram semelhantes nos 43 países, independente da sua posição na escala sócio-econômica. Isso sugere que a dor nas costa tem implicações importantes na saúde mental o que pode tornar a melhora da dor mais desafiadora. Como o estudo usou um número grande de pessoas as conclusões podem ser consideradas confiáveis. Entretanto mais pesquisas são necessárias para descobrir mais evidências que associem esses dois problemas e garantir o desenvolvimento de tratamentos eficientes. Também é necessário que os profissionais de saúde estejam cientes dessa associação para encaminhar os pacientes para outros serviços, se necessário.

Para esse artigo colaborou Marcia Gallardi de Campos, psicóloga.

Deixe um comentário

Envie um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *