Empreiteira OAS (Obras, Arranjadas pelo Sogro) deve ter falência decretada pela Justiça

Empreiteira OAS (Obras, Arranjadas pelo Sogro) deve ter falência decretada pela Justiça

A OAS (Obras, Arranjadas pelo Sogro), uma das maiores empreiteiras do país, corre risco de falir, segundo a “Folha de S.Paulo”, nesta segunda-feira (15). Tudo teve início em novembro de 2014, quando o presidente da empresa, Léo Pinheiro, foi preso pela Polícia Federal, na Operação Lava Jato. No ano em que seu presidente foi preso, a OAS registrava uma receita bruta de R$ 7,7 bilhões. No entanto, sua situação a se agravar após a prisão, segundo os relatórios entregues à Justiça, e em 2015 foi aberta a recuperação judicial da companhia.

Nos últimos meses, a administradora judicial Alvarez & Marsal apontou em documentos que a situação da empreiteira é grave. Tanto que, em um dos documentos entregues à Justiça em abril, afirmou estar em dúvida sobre “a capacidade de soerguimento das suas atividades empresariais”. Já em junho deste ano, a administradora da recuperação afirmou que o grupo está em “estágio crítica” e que depende de recursos extraordinários para se manter. Esses recursos são captados através da venda de ativos e antecipação de precatórios. Isso porque os valores vindos das obras da empreiteira têm sido baixos, já que, desde o pedido de recuperação judicial, a empresa passou de 80 obras no Brasil e no exterior para cerca de 20.

Deixe um comentário

Envie um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *